Silvano Colli

Nascido aos 21 dias do mês de janeiro de 1972 em realeza-PR, o filho caçula de um total de nove filhos de um casal de agricultores, viveu até os 7 anos na zona rural de sua cidade natal. No final de 1979 juntamente com seus pais, mudou-se para Barreiras-BA, onde viveu até final de 1984 quando mudou-se mais uma vez juntamente com a família para Planaltina-Distrito Federal (DF).

            Em 1986 teve contato com o teatro através de um professor de artes cênicas da rede pública de ensino do DF chamado Preto Rezende, que passou de sala em sala da escola onde ele estudava, convidando os alunos que quisessem participar de oficinas de interpretação. Participou da fundação do grupo de teatro amador Senta Que o Leão é Manso, que teve como mentor o professor e ator Preto Rezende. Se apaixonou pelo teatro, tendo participado de diversas montagens teatrais, foi inclusive, premiado como melhor ator no Primeiro Festival de Teatro de Planaltina-DF – Prêmio Altamir – onde participaram grupos de várias localidades do DF, sendo indicado também como melhor ator coadjuvante em outro espetáculo nesse mesmo festival.

            Por muitos anos, atuou no tradicional espetáculo a céu aberto da cidade de Planaltina-DF, que é a apresentação da Paixão de Cristo na Sexta-Feira Santa no Morro da Capelinha.

            Além de atuar em peças teatrais de autores já renomados, ele colaborou em adaptações de textos já existentes e até mesmo da criação de textos inéditos para o teatro, sendo essa sua primeira experiência como escritor ainda no grupo de teatro Senta que o Leão é Manso.

            Mais tarde, Conheceu Alice Martins, outra professora de Arte da rede pública de Ensino do Distrito Federal, que também o convidou para fundar outro grupo de teatro amador que recebeu o nome de ATO TE ATO, onde participou da criação de alguns textos sempre voltados para o teatro.

            Em 1994, aos vinte e dois anos apaixonou-se, neste mesmo ano assumiu função pública na área administrativa da Rede Pública de Ensino do DF, e aos vinte e três anos casou-se, com isso se afastou do teatro, pois dividia seu tempo entre o trabalho e sua esposa.

            Embora tivesse sempre ideias de textos para teatro e cinema, não procurou publicar nenhum deles, até que começou a escrever um livro sem grandes pretensões, tinha como objetivo criar uma história que agradasse seus filhos e o resultado foi a criação de “O Herdeiro Supremo”, primeira obra escrita unicamente por ele e que buscou publicar.

 

Obrigado pela sua visita

Antes de nos deixar, subscreva a nossa newsletter e fique sempre informado sobre os nossos livros.