Odir Ramos da Costa

Odir Ramos da Costa é natural do estado do Rio de Janeiro, Brasil. De sua autoria, além da presente obra, constam as peças teatrais No tempo do Corta-Jaca, Mate com Limão e Cicuta, Comitê de Vila Maria (Menção Honrosa do Ministério da Educação e Cultura do seu pais, em 1976), Sonho de uma noite de velório (Prêmio Serviço Nacional de Teatro,1975), Palavras no Chumbo Derretido (Prêmio Carlos Carvalho, da Secretaria de Cultura de Porto Alegre, em 2009). Publicou o livro de crônicas Na Terra do Melhoral, e o romance As Manhas do Povo. A Rádio França Internacional agraciou com Menção Honrosa o seu conto Buquê para Faceira no concurso Guimarães Rosa, para autores de língua portuguesa. Por cerca de 25 anos foi diretor do Teatro Artur Azevedo, no Rio de Janeiro.

Obrigado pela sua visita

Antes de nos deixar, subscreva a nossa newsletter e fique sempre informado sobre os nossos livros.